Terça-feira, 21 de Junho de 2005
parabens1.gif




Criança,
Porque cresceste?
Com as tuas travessuras,
Com as tuas diabruras,
Deixaste de brincar
E de mim te afastaste.
Cresceste,
Deixaste-me só,
Embora sinta o teu Amor,
Eu sinto um tal pavor
da criança não escontrar.
Sinto saudades
Da criança que eras.
Das mazelas que fazias,
Pelas tuas tropelias,
E nos meus braços,
O amparo sentias,
Pois com carinho e afago
Tudo logo esquecias.
As brincadeiras pedias,
e eu, como criança também,
Mesmo sendo tua mãe,
A tudo me submetia.
Eram horas desejadas,
Eram tempos felizes.
Já não és criança,
Cresceste.
A criança em mim, ficou
Ficando a saudade
Do tempo que já passou.
Hoje és mulher,
Mãe e avó,
A tua vida fizeste.
Desejo-te tudo de bom
E que tuas filhas
Te dêem todo o Amor
Que mereces,
Pois a mim nunca faltou.




Muitos Beijinhos.


parabens.gif
publicado por najasmin às 00:53
|

Sábado, 11 de Junho de 2005

Imagem retirada da net




Meus amigos,
Ontem estive
Mais para lá
Do que para cá
Mas já passou
E para animar
Sardinhas fui assar
Já não me lembro
Há quanto tempo
Não o fazia.
Vejam lá se há remédio melhor,
Assar... as sardinhas
E comê-las à mão,
Regadas com sangria
E os outros condimentos
Isto é que é alegria!
Enquanto comia
Música ouvia.
Comecei cedo demais
Tenho que alargar o cabedal
Para aguentar até ao final.








Fotografia de Jorge Correia Santos





Para o S. João
Vou até Alcochete
Uns amigos visitar
Vou ver a Procissão
Ao mesmo tempo ver a fogueira
Que por ser tão grande
Não dá para saltar.
Depois para o São Pedro
Continua a reinação,
Os arraiais estão a acabar
E eu não posso faltar.
Depois... ai... ai... ai...
Meu coração.






Najasmin
11/06/2005
publicado por najasmin às 19:39
|

Quinta-feira, 09 de Junho de 2005


Vasco Santana
Fado do estudante

Não se esqueçam de desligar primeiro o som de fundo...




santo_antonio.jpeg



É tempo de arraiais
É tempo de sardinhadas
Dos bailaricos
Dos Santos Populares,
O desfile das Marchas
E dos foguetes a anunciar
Que a festa vai começar.
Primeiro Santo António
Depois São João
E por último São Pedro
Para fechar.
Embora diferente
De outros tempos
É sempre agradável
Nos arraiais entrar
E há quem arranje
Noivo
Sem ter muito
Que procurar.
As noivas de S. António
No meu tempo não existia
Bastava ir visitá-lo
E ele as abençoaria.
Gosto muito do S. António
É o meu santo preferido
Falo muito com ele
Mas ele não me dá juízo.
Em tempos idos
Fazia-se o altar
S. António de um lado
Uma velinha e um mangerico
E não faltava quem
Meio tostãozinho pedisse
E um cravinho
Para animar
E com o pouco apurado
Guloseimas ir comprar.





flower8.gif




Aos meus amigos vou ofertar
Estes mangericos fresquinhos
Para que me possam dar
Sempre muitos beijinhos.






Meus amigos
Espero pela Delta
Para as sardinhas saborear
O Marius, o mangerico
Me mandar.
A Grilinha
À fogueira saltar.
A Aluena
Uma bica tomar
A Panpanisca
As pataniscas vir fritar
O Zeca
Umas flores arranjar
A Ana e a Xana
A sangria despejar
E juntamente com todos
Beber e Confraternizar.
Como é bom ter amigos
E com eles trocar
Nossas opiniões
Sem ninguém molestar.
Divirtam-se um pouco
com a música que está a tocar
Faz lembrar velhos tempos
Eu estou a gostar
E ao mesmo tempo a dançar.




papoilas_barra.gif



najasmin
9/06/2005
publicado por najasmin às 15:56
|

Quarta-feira, 08 de Junho de 2005
Uma pequena experiênciaa para ver por onde anda o resto do blog...
publicado por najasmin às 00:00
|

Terça-feira, 07 de Junho de 2005

foto tirada da net



Devia ter feito tanto
E comparado com o que fiz
Nada foi.
Hoje sinto-me impotente
Para fazer seja o que for
Sinto que minha missão
Neste mundo ainda não findou.
Não sei qual será meu destino
Pois luz nenhuma me iluminou.
Eu bem espero
Por um sinal qualquer
Sinal que não vislumbro
E nem sei, se realmente o quero.
Queria que tudo findasse
Tudo à minha volta parasse
Para enfim descansar
Mas a hora não chegou
E eu estretanto aqui estou,
No meu isolamento,
No meu sofrimento
Sem saber para onde
Nem quando vou.


Najasmin
22/01/92
publicado por najasmin às 14:47
|

Quarta-feira, 01 de Junho de 2005
moldura_1.jpg



Criança
Que tudo merecias
Por teres nascido em guerras
Só recebes mutilações,
Sofrimento, ficando só
Sem pais como companhia.
Quando tu,
Criança querida
Tal como um ramo de rosas
Com seus botões a desabrochar,
Outra vida merecias.
Tal como todas
Fazes parte da humanidade.
Mas neste mundo cruel
Onde só há guerras,
Disputas e lutas
Por aquilo que mais interessa,
Esquecem-se de vocês,
Meus amores
Perdendo por vezes
Vossos pais, vossas mães.
Pois é,
São pais que perdem os filhos
E filhos que perdem os pais.
E o mundo anda em desarmonia.
A todas as crianças do mundo
Eu desejo uma vida melhor
Onde possam brincar
E chegar a adultos.
Sem lágrimas
Nesses lindos olhos
E um rosto onde não haja
Sofrimento e Dor.
Estas linhas são para aquelas
Que nada têm,
Inclusivé, o amor e o respeito
A que têm direito.
Com todo o meu amor
Um abraço que a todas abrange.
Crianças lindas
Como flores em botão
Desejo o fim de todo o mal,
É o que pede meu coração
Para todas as crianças.



Natália/2005
publicado por najasmin às 02:06
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2005
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Últ. comentários
beijing tour (http://www.beijingtourtravel.com)[ur...
thanks for letttin me know how to do dis i apprec...
NajasminAmei seu blog!Está em favoritos e até ata...
Beleza! Descobri hoje essa maravilha. Beleza mess...
amizade
Amei seus poemas...è vc mesmo quem os faz?...Para...
Olá...eu tava passeando e acabei passando aqui do...
adorei o seu blog e tbm as mensagens!
parabéns por suas tão belas poesias.......
Faz um ano que não há novidades por aqui.está na ...
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro